Pastor Ivan Saraiva é homenageado por sua atuação nas redes sociais

ivan

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte concedeu em sessão solene o título de cidadão norte-riograndense ao pastor Ivan Saraiva, evangelista e apresentador da TV Novo Tempo, por ser referência nacional em evangelização por meio das redes sociais. O pastor Ivan tem mais de 300 mil seguidores no Instagram, mais de 300 mil no YouTube e mais de um milhão no Facebook. “O pastor Ivan é referência nacional na forma de evangelizar a Palavra de Deus pelas redes sociais”, disse o deputado estadual Albert Dickson. Segundo o deputado, a Igreja Adventista, da qual o homenageado é pastor, tem um extenso serviço prestado ao Rio Grande do Norte por meio da ADRA, organização privada, não governamental e sem fins lucrativos que executa projetos de desenvolvimento comunitário e de assistência humanitária em 130 países. A Igreja está presente no Rio Grande do Norte há mais de 40 anos. “Esse é o nosso agradecimento, e o nosso Estado agradece a presença deles aqui”, disse Dickson.

Saraiva é orador do programa “A Voz da Profecia”, no rádio, e apresentador do programa “Está Escrito”, na televisão, e vem cumprindo as palavras de Ellen White, escritas há mais de um século, segundo a qual novos meios de comunicação seriam descobertos e deveriam ser usados na pregação do evangelho; meios antes desconhecidos e que apressariam a disseminação da mensagem de salvação. Na verdade, os pioneiros adventistas sempre estiveram na vanguarda do uso das mídias: os pregadores utilizavam cartazes e pôsteres em suas palestras (imagine se tivessem PowerPoint e Prezi!), investiam dinheiro na publicação de folhetos, revistas e livros, e foram os primeiros, também, a utilizar novas tecnologias como o rádio e a TV.

Interessante que em fevereiro de 2007, Marty Thurber escreveu na revista Ministry a respeito de sua experiência com o uso de um blog: “Quando H. M. S. Richards iniciou seu programa de rádio anos atrás, as pessoas tinham uma pequena ideia do que ele estava fazendo. Alguns imaginavam que ele estava desperdiçando tempo e recursos preciosos. Agourentos predisseram que essa nova forma de pregar o evangelho iria fracassar. Mas veja o que aconteceu! Que revolução a visão de um homem trouxe à pregação do evangelho. Milhões ao redor do mundo […] compreenderam a mensagem de um Salvador amoroso. Pessoas totalmente desconhecidas começaram a falar comigo, quase como se fosse face a face. […] Qualquer um pode parar em seu blog e postar comentários sobre suas ideias. […] Ele pode estar em outra cidade ou em outro continente. Distância não é problema; blogar pode ser descrito como a ‘morte da distância’.”

Parabéns, pastor Ivan, por usar todos os recursos que Deus lhe colocou à mão e anunciar a mensagem de um Salvador que está para voltar! Que seu ministério continue sendo abençoado e abençoando. [MB]

Anúncios

Os cuidados que os pais devem ter com jogos virtuais

video-game-kidCrianças e adolescentes estão cada vez mais interessados em jogos virtuais. Diversos desafios aparecem diariamente na internet, aguçando o interesse dos jovens. Recentemente, uma menina de sete anos morreu após participar de um jogo virtual, no qual o objetivo era inalar o máximo possível de desodorante aerossol. A comoção com o caso fez com que os pais ficassem mais atentos aos desafios publicados na web. De acordo com Maria Lucia Marques, especialista em psicologia escolar, psicopedagogia, jogos, educação e professora do curso de Psicologia da Universidade Univeritas/UNG, “os responsáveis devem acompanhar de perto, não apenas os jogos virtuais, mas todas as atividades que estão envolvidas no “mundo virtual”, pois as mensagens subjetivas na construção do universo psicológico transcendem os espaços virtuais para a percepção do que é real e do que deve ser mantido apenas na esfera da imaginação”, comenta. Diante disso, a especialista explica como perceber e agir frente ao problema.

Como perceber que algo está acontecendo? 

Hoje em dia, é muito comum observar os jovens entretidos com seus celulares, tablets, computadores e outras “ferramentas” de tecnologia. Os pais devem acompanhar de maneira mais próxima essas influências; é importante estarem atentos não apenas às “ferramentas”, mas, sim, aos níveis de mudanças de comportamento e atitudes que esses jovens podem apresentar.

De que forma eles podem procurar ajuda? 

A primeira ajuda deve ser dada pelos próprios pais, no sentido de proporcionarem a conscientização sobre o uso e o alcance dessas tecnologias. Caso tenham dificuldades, é importante buscar profissionais que possam contribuir com esse processo, como psicólogos, orientadores pedagógicos das escolas, entre outros.

Limitar o acesso à internet e rastrear sites acessados seria uma alternativa? 

Este tipo de ação mostra-se como uma das ações que os pais podem utilizar, porém, se estabelece mais como uma ação coercitiva de controle do que a real conscientização do próprio usuário. Dependendo da faixa etária, essa é uma conduta que pode trazer alguns resultados, mas para jovens e adolescentes não representa uma alternativa com grande probabilidade de êxito, pois existem meios de “burlarem” esses controles.

Por que cada vez mais os adolescentes estão se envolvendo em jogos perigosos? 

Exatamente pela dificuldade de entenderem o que é o mundo real e o que é o universo tecnológico. Essa distinção é fundamental na concepção e preparação do sujeito para o “mundo adulto”, e estas novas gerações estão tendo cada vez mais dificuldades para discernir essas relações.

Você acredita que os adolescentes estão cada vez mais tomando decisões negativas em razão da pressão de amigos/colegas? 

Os jovens sempre se mostraram muito vulneráveis às influências de seus “amigos/colegas”, pois ainda estão em processo de formação de identidade e é o exercício com este mundo externo que contribui para a formação de seu mundo interno. Dessa forma, existem muitas variáveis que devem ser consideradas antes de falar que eles estão tomando decisões negativas. Acredito que são decisões imaturas e típicas de quem ainda não consegue diferenciar aquilo que chamamos, anteriormente, de mundo real e mundo virtual, pois ainda estão em processo de formação.

Professores da FGV alertam: pais devem acompanhar e educar o acesso de crianças à internet

kid-on-internetSetenta por cento das crianças e adolescentes entre 7 e 17 anos afirmam ter encontrado pornografia acidentalmente na internet enquanto navegavam por outros motivos. O dado é da pesquisa produzida pela organização inglesa GuardChild. Para evitar que casos como esses aconteçam na sua família e com amigos, o coordenador do MBA em Marketing Digital André Miceli e a professora Regina Lima, pesquisadora do tema, ambos da Fundação Getulio Vargas (FGV), dão dicas de como controlar e proteger os filhos. “É necessário ter limites claros na quantidade de tempo conectado. Além disso, toda a família deve implementar a Política de Porta Aberta, em que os pais devem sempre interagir com os filhos durante o tempo no computador. Verifique os games que eles estão jogando ou o que eles estão procurando. Deixe-os saber que você está interessado e prestando atenção. Quando possível, especialmente com crianças mais novas, sente-se com elas, assista e interaja”, diz André Miceli.

A pesquisadora da FGV Regina Lima afirma ainda ser muito importante, para quem cuida de uma criança, que esteja atento, além da interação nas redes sociais, ao vício no uso. Segundo ela, as crianças com pouca idade que receberam tablets ou outros dispositivos estão desenvolvendo uma relação nada saudável com a tecnologia. “Em muitos casos, elas ficam menos interessadas em atividades como esportes e leitura, além de estarem mais propensas a insônia e irritabilidade. A pesquisa de imagens cerebrais mostra que esses dispositivos afetam o córtex frontal do cérebro da mesma forma que uma droga. Na verdade, o uso de tecnologia é tão excitante que eleva os níveis de dopamina tanto quanto o sexo”, alerta a especialista.

Miceli explica que temos que educar as próximas gerações sobre como usar a internet. Para o professor da FGV, temos que garantir que cada criança possa encontrar uma maneira própria e saudável de se relacionar com a tecnologia. “A educação é a ferramenta mais importante nesse processo. O interessante é que, se por um lado a tecnologia pode atrapalhar as crianças, por outro, pode ser uma aliada dos pais”, diz o especialista.

André Miceli e Regina Lima ressaltam que recursos podem ajudar no bloqueio de aplicações e sites indevidos. Eles afirmam que o botão de pânico, caso a criança ou adolescente estejam em perigo, pode ser usado, além da localização e histórico dos lugares visitados. Ainda de acordo com os professores da FGV, é possível definir limites de tempo de uso, rastrear textos e contatos.

Os especialistas, entretanto, alertam que os próprios recursos de controle devem ser usados com parcimônia. “Combater o vício, a pedofilia e fazer da tecnologia uma aliada na educação deve ser um objetivo de todos os pais. Mesmo com todos os recursos disponíveis é fundamental que a família entenda que o diálogo e o amor continuam sendo os recursos mais eficientes nesse processo”, complementa Regina Lima.

Óbvio que os terraplanistas iam dizer que o lançamento do Falcon Heavy foi fake

Falcon-Heavy-LaunchO lançamento ontem do foguete Falcon Heavy marcou uma nova etapa nas atividades espaciais norte-americanas, com investimentos do bilionário Elon Musk, em parceria com a Nasa. O foguete está levando um automóvel Tesla até próximo da órbita de Marte. Um dos grandes feitos desse lançamento foi trazer de volta à Terra os foguetes auxiliares do Falcon Heavy (veja o vídeo abaixo). Graças a isso e a outros fatores (como o combustível utilizado), o lançamento ficou muito mais barato do que de costume. Enquanto o Falcon subia, câmeras instaladas nele enviavam imagens da Terra, nas quais obviamente se podia avistar a curvatura do planeta (confira). Não demorou muito para os terraplanistas de plantão dizerem que, como sempre, tudo não passava de encenação, de uma conspiração da Nasa (sempre ela), ainda que milhares de pessoas estivessem no local observando e filmando o lançamento e o retorno dos foguetes.

Sentados atrás de seus computadores, os terraplanistas sabichões aqui no Brasil é que sempre detêm a verdade e espalham suas sandices na rede em busca de likes e projeção, alegando defender uma suposta verdade criacionista. Dão é um tiro no pé do cristianismo, expondo ao ridículo os que creem na Bíblia e na verdadeira ciência. Apenas perco meu tempo com isso (tendo coisas tão mais importantes pata tratar e divulgar) porque há inocentes sendo contaminados com essas heresias pseudo-científicas.

Se eu tivesse dinheiro, tirava aquele boneco de dentro do Tesla e colocava um terraplanista para ver as coisas com os próprios olhos e contar para seus amiguinhos. Pensando bem, acho que os outros aqui na Terra iriam dizer que ele estava sob efeito de drogas alucinógenas ou que as janelas do foguete eram, na verdade, monitores projetando imagens da “Terra bola”, afinal, o mundo todo, os governos, as agências espaciais, até os norte-coreanos!, estão todos mancomunados e conspirando para manter o mundo na ilusão de que a Terra não é plana. Gastam rios de dinheiro com isso, mas vale a pena alimentar essa mentira. Façam-me o favor! [MB]

Veja aqui reportagem no canal da BBC.

Leia também: Cinco motivos por que a Terra não pode ser plana