Evangélicos são condenados por falsa profecia

fofocaDois frequentadores de uma igreja evangélica carioca deverão indenizar outra fiel, sobre quem espalharam fofocas na comunidade. A decisão foi do desembargador Eduardo de Azevedo Paiva, da 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ). Em primeiro grau a Justiça já havia decidido de forma favorável à autora. Segundo relatado nos autos, os réus espalharam a informação de que a mulher havia traído o marido após terem recebido uma “revelação divina” sobre o suposto fato. De acordo com informantes que atuaram no caso, um dos réus “confirmou ter recebido uma ‘mensagem de Deus’ para que ele propagasse a notícia do adultério e a segunda ré também confessou ter agido da mesma forma”. Em sua defesa, alegaram que a mulher não sofreu qualquer tipo de dano, apenas mero aborrecimento. Afirmaram, também, que a condenação na primeira instância, de pagamento à fiel no valor de R$ 5 mil para cada demandado, foi excessiva. O desembargador, porém, não teve dúvidas a respeito dos elementos configuradores da responsabilidade civil subjetiva dos réus para que se configurasse o dano moral.

De acordo com Paiva, o dano moral “é lesão de um bem integrante da personalidade, tal como a honra, a intimidade, a liberdade, a saúde, a integridade psicológica” que acaba por causar “dor, vexame, sofrimento, desconforto e humilhação ao ofendido”. Nesse sentido, manteve a indenização de primeiro grau, considerando que o dinheiro seria uma forma de compensar o mal causado à mulher e atenderia ao caráter pedagógico da condenação.

(Gazeta do Povo)

Nota: Tomara que a “moda pegue” e que muitos falsos profetas sejam processados e condenados pelos estragos que causam e pela banalização que promovem do dom profético. Já perdi a conta de quantas histórias ouvi de falsas profecias divulgadas no meio pentecostal e neopentecostal. Minha esposa e eu estudamos a Bíblia por cerca de dois anos com um casal de uma grande igreja pentecostal brasileira. Eles nos relataram o desgosto que sentiam pelo fato de que muitos “profetas” de sua antiga religião haviam anunciado que eles teriam filhos, o grande sonho deles, embora tivessem sérios problemas de fertilidade. Eles estavam desanimados e considerando estranho o fato de as “profecias” proclamadas na igreja falharem uma após a outra. E é de se estranhar mesmo, afinal, segundo a Bíblia, as profecias do verdadeiro profeta nunca falham (Deuteronômio 18:21, 22; Jeremias 28:9). Isso sem contar as muitas outras características que identificam o verdadeiro profeta e que, definitivamente, não se encaixam na descrição dos tais profetas/oráculos modernos (confira aqui), especialmente o texto Isaías 8:19, 20. Por isso, gostaria muito que a Justiça ficasse mais atenta a esses oportunistas, a fim de que eles pensassem mil vezes antes de “profetizar” mentiras e desanimar as pessoas, afastando-as da verdadeira revelação de Deus, a Bíblia Sagrada. [MB]

O que não é um perfeccionista

Papa vai tentar convencer Trump a mudar de ideia sobre aquecimento global

papaFontes vaticanas disseram [no dia 12] acreditar que o papa Francisco tentará convencer o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a manter os acordos climáticos. O líder católico receberá o magnata no próximo dia 24 de maio, na Itália. “Acho que o papa vai convencê-lo”, afirmou o chanceler da Pontifícia Academia das Ciências, monsenhor Marcelo Sanchez Sorondo. Francisco é o autor da encíclia Laudato Sí, que aborda justamente problemas climáticos, exploração de recursos naturais e colapsos do capitalismo. “Enquanto o papa escrevia sua encíclica, lobistas do setor petroleiro tentavam de tudo para evitar que Francisco falasse que a causa da mudança climática é a atividade humana que utiliza materiais fósseis”, contou Sorondo. “Trump já mudou de ideia várias vezes, sobre várias coisas, espero que mude também sobre o clima”, comentou. Será o primeiro encontro entre Trump, que tomou posse em janeiro, e o papa Francisco. Os dois divergem em uma série de assuntos e a reunião foi marcada praticamente em cima da hora. Recentemente, Jorge Mario Bergoglio também criticou a chamada “mãe de todas as bombas”, explosivo de dez toneladas lançado pelos EUA no Afeganistão.

(UOL Notícias)

Nota 1: De fato, Trump tem mudado de ideia sobre vários assuntos, inclusive a visita ao papa se trata de uma dessas mudanças. Se o presidente norte-americano mudar de ideia quanto à questão do aquecimento global, poderemos ver um alinhamento interessante em uma questão que favorece e muito o futuro decreto dominical. Se duvida, assista ao vídeo abaixo. [MB]

Nota 2: A foto que ilustra esta postagem (acima) é a do presidente de Portugal beijando a mão do papa, provando com isso que esse negócio de Estado laico, na verdade, não existe. [MB]

Cristãos são cada vez mais influenciados por ideias não bíblicas

marxUma nova pesquisa revela o aumento da influência de crenças não cristãs na mentalidade dos cristãos praticantes, com grandes porcentagens deles concordando com ideias que contrariam as Escrituras. O levantamento realizado pelo Instituto Barna, em cooperação com Summit Ministries, foi divulgado nesta semana. Ele mediu o quanto as crenças centrais de outras visões de mundo, como nova era, secularismo, pós-modernismo e marxismo, afetaram a maneira com que os cristãos veem o mundo. “Sua influência generalizada sobre o pensamento cristão é evidente, incluindo ideias de religiões concorrentes”, afirma o relatório. Ao todo, 1.456 cristãos praticantes foram confrontados com uma série de afirmações e precisavam dizer se concordavam ou não com elas. Por exemplo, 61% dos entrevistados concordavam com pelo menos um dos ensinamentos da nova era. Quase 30% concordaram que “todas as pessoas rezam/oram ao mesmo deus ou espírito, não importa o nome que deem a ele”. Cerca de um terço das pessoas também disse acreditar que “o significado e o propósito da vida é se tornarem um com o universo”.

A influência dessas filosofias pagãs também está presente nas questões éticas apresentadas aos cristãos, sendo que 32% acreditam em alguma forma de “reciprocidade ou karma”. Eles disseram concordar com a afirmação “se você fizer o bem nesta vida, receberá o bem, e se você fizer algo ruim, receberá algo ruim”. Embora apele para um senso de justiça, isso não é ensinado nas Escrituras.

A pesquisa também apresentou frases que afirmam o pós-modernismo, o secularismo e o marxismo. Quando perguntados, os cristãos mostraram concordar com muitas delas. Em geral, 54% concordaram com alguns pontos de vista pós-modernistas, 36% aceitaram ideias apregoadas pelo marxismo e 29% disseram acreditar no que ensina o secularismo. Por exemplo, 10% dos cristãos disseram acreditar na percepção secular de que “toda crença precisa ser comprovada pela ciência para determinar que ela é verdadeira”. Já a afirmação pós-moderna “o que é moralmente certo ou errado depende do que cada indivíduo acredita” é compartilhada por 23% dos cristãos entrevistados. Ao mesmo tempo, 19% dizem que “ninguém sabe ao certo qual é o sentido da vida”.

Outros 11% concordaram com a declaração marxista: “A propriedade privada encoraja a ganância e a inveja”, e outros 14% dizem crer que “o governo e não os indivíduos deveria controlar os meios de produção e os recursos”. Apenas 17% dos cristãos mostraram ter uma visão bíblica sobre a vida, de acordo com o que ensina a Bíblia.

Brooke Hempell, vice-presidente de pesquisas do Instituto Barna, revela que há tempos eles vêm detectando uma tendência que agora se confirma. “Essa pesquisa cristaliza o que já era percebido, incluindo um aumento do pluralismo, do relativismo e do declínio moral, até mesmo entre os membros das igrejas. No entanto, não deixa de ser surpreendente como essas crenças estão enraizadas.”

“As pessoas podem se agarrar e até defender essas ideias sem perceber que elas são distorções das verdades bíblicas”, observou Hempell. “O desafio para a igreja, em especial os líderes e mestres, é ajudar os cristãos a perceber que essas crenças populares não deveriam substituir o que as Escrituras dizem.”

A tendência de que esse tipo de influência continuará crescendo pode ser vista pelo fato de que os mais jovens – menos de 25 anos – são oito vezes mais propensos a concordar com essas ideias que seus pais.

(Gospel Prime)

Nota: O texto de Oseias 4:6 é mais verdadeiro do que nunca: “O Meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.” Os cristãos caem nos engodos gestados pelo inimigo de Deus justamente porque não mais estudam a Bíblia como deveriam. Vivem uma religião emocionalista, quase mística, sem lastro nas Escrituras Sagradas. Apenas usam a Bíblia como uma espécie de amuleto ou a carregam para a igreja, levando-a de volta para casa, onde fica estacionada na estante ou sobre o criado mudo – tão muda quanto esse criado. É uma armadilha satânica: enquanto essas pessoas se sentem bem por crerem que são cristãs, vivem como se não fossem e carecem de uma visão bíblica que as ajudaria a identificar as armadilhas ideológicas espalhadas por aí. Evolucionismo, espiritualismo e marxismo são incompatíveis com a Bíblia. Na verdade, o que há de bom nessas filosofias é exatamente o que há de bom no cristianismo, como a pregação do amor ao próximo e a ideia de que todos, embora sejam diferentes, têm direitos iguais perante Deus, por exemplo – especialmente o direito à salvação. O fato é que evolucionismo, espiritismo e marxismo estão interligados e atentam contra a cosmovisão bíblico-criacionismo. Por favor, tome algum tempo para assistir ao vídeo abaixo e perceberá isso. [MB]

A Virgem de Fátima, o islã e o muçulmano pagador de promessa

samiDeu no site católico Aleteia: “À medida que nos aproximamos do centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, um aspecto que geralmente passa despercebido é a sutil conexão dela com o islã. A Santíssima Virgem Maria apareceu aos três pastorzinhos perto da cidade de Fátima, em Portugal, um lugar cujo nome homenageia tanto uma princesa muçulmana quanto a filha de Maomé. Durante o século 12, exércitos cristãos tomaram cidades da Espanha e Portugal, que tinham sido ocupadas por forças muçulmanas. Nesse período, um cavaleiro chamado Gonzalo Hermigues e seus companheiros capturaram uma princesa muçulmana chamada Fátima. Algumas histórias dizem que, depois de ser capturada, Fátima se apaixonou por Gonzalo e pouco depois eles se casaram. Antes, porém, Fátima foi batizada na fé católica e recebeu o nome de Oureana. Diz-se que as cidades portuguesas de Fátima e Ourém recebem esses nomes em homenagem à princesa muçulmana. O interessante é que a princesa muçulmana tinha o nome de uma das filhas de Maomé, Fátima bint Muhammad, mulher de grande reverência no Islã.

“A filha de Maomé também recebeu o título de al-Zahra, ‘a brilhante’, e Maomé, certa vez, disse sobre ela: ‘Você será a mais abençoada de todas as mulheres no paraíso, depois de Maria’ (embora o muçulmanos não compartilhem as mesmas crenças que os católicos em relação à Virgem Maria, eles têm o mais profundo respeito por ela). Segundo o padre Miguel Ángle Ayuso, secretário do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, essa conexão pode ser uma porta para o diálogo.

“Segundo o que foi assinalado no VIII Encontro de Oração Islâmico-Cristã em 2014, ‘a Igreja Católica reconhece que os muçulmanos honram Maria, a Virgem Mãe de Jesus, e, inclusive, a invocam com piedade […]. Maria é mencionada várias vezes no Alcorão. O respeito por ela é tão evidente que, quando ela é mencionada no Islã, acrescenta-se ‘Alayha l-salam’ (a paz esteja com ela). Maria, modelo para muçulmanos e cristãos, é também modelo de diálogo’.

“O venerável Fulton Sheen estabelece uma interessante conexão entre a  reverência dos muçulmanos em relação à Maria, a filha de Maomé e as aparições de Nossa Senhora em Fátima: ‘Por que a Santíssima Virgem Maria, no século 20, deveria ter se manifestado em um insignificante povoado de Fátima, para que todas as gerações futuras a conhecessem como ‘Nossa Senhora de Fátima’? Como nada acontece fora do céu sem a delicadeza de todos os detalhes, creio que a Virgem escolheu ser conhecida como ‘Nossa Senhora de Fátima’ como uma promessa e um sinal de esperança para o povo muçulmano e para assegurar que quem tem respeito por ela algum dia também aceitará o seu Divino Filho.’

“Surpreendentemente, além de atrair os peregrinos cristãos, o santuário de Fátima também atrai um grande número de muçulmanos. Eles querem ver o lugar onde a Virgem Maria apareceu, em uma cidade batizada em homenagem a uma das mulheres mais importantes do islã. Enfim, a Santíssima Virgem Maria chamou, em Fátima, todos os cristãos a rezar pela paz no mundo. Em uma época em que se recorrem à violência em nome do islã, é mais do que necessário recorrer à Nossa Senhora de Fátima. Vamos continuar trabalhando pela paz no mundo e encarar Nossa Senhora como uma ponte entre muçulmanos e cristãos, suplicando que ela coloque fim ao ódio que tem causado tanta violência em todo o mundo.”

E o Jornal de Notícias apresentou um exemplo real dessa veneração muçulmana da personagem católica: “Sami Aoun, do Líbano, cumpriu uma promessa de joelhos assim que chegou ao santuário de Fátima. A chuva e as dores não abalaram o jovem muçulmano, que pediu maior união entre as diferentes fés e crenças. O jovem que vive em Beirute parecia que ia sucumbir a cada passo dado de joelhos já doloridos e molhados. Parava, olhava para a frente, depois para o chão, e prosseguia, quase esgotado, enquanto peregrinos procuravam ajudá-lo, fosse com um guarda-chuva para o abrigar do mau tempo, ou oferecendo joelheiras, que recusou sempre. ‘É uma grande sensação. Se calhar sente-se 0,001% do que Jesus sentiu na sua última hora quando foi levado para a cruz’, disse à Lusa Sami Aoun, ainda a recuperar o fôlego, no fim da promessa.

“O jovem de 29 anos já tinha ouvido, em sua terra natal, que ‘a virgem Maria tinha aparecido em Fátima’ e decidiu deslocar-se ao santuário, aproveitando umas férias em Madrid. ‘Mesmo sendo longe, é merecida a visita a este lugar abençoado.’ No percurso, rezou pela mulher, pelo filho que deverá nascer ‘daqui a dois meses’ e por uma maior ‘união entre cristãos e muçulmanos’. Para Sami, o retrato feito dos muçulmanos pela mídia é errado. ‘O muçulmano tem que acreditar primeiro no cristianismo e só depois no islamismo. Porque o cristianismo veio antes e abriu o caminho para todas as pessoas acreditarem em Deus’, frisou. ‘Eu acredito na virgem Maria. Acredito que ela tenha aparecido aqui aos três meninos. Quando vim aqui visitar Fátima e vi as pessoas a fazerem isto [as promessas de joelhos], eu também fiz, pela virgem Maria e por Jesus Cristo. Como muçulmano, acredito em Jesus Cristo e amo-o muito. Nós, muçulmanos, amamos muito [Jesus]; não é como diz a mídia’, frisou Sami, enquanto fazia a promessa de joelhos que se transformou num momento carregado de simbolismo. […]

“Sentada à beira da Capelinha das Aparições ouvindo o terço, Maria Isabel estava impressionada com o rapaz muçulmano cumprindo os últimos passos do esforço. ‘Que Nossa Senhora de Fátima o ajude, a ele e aos amigos, que eles são filhos de Deus como a gente’, desabafou a mulher de 86 anos, natural de Fátima. Quando a promessa estava pela metade, Sami explicou à Lusa que o que fazia era também ‘um gesto’ para mostrar que todos podem ‘viver juntos’. […] Num momento em que o mundo parece tão dividido, é preciso mostrar que todos são ‘irmãos, com o mesmo sangue’, disse à Lusa Hassam, que também acompanhava o jovem libanês em sua promessa. ‘Viemos todos de Adão. Qual é a diferença?’”

Nota: Para entender melhor essa relação da Virgem de Fátima com o islã e as implicações proféticas disso, clique aqui. [MB]

Leia também: “Our Lady of Fatima is coming to the United Nations”

O que não é um perfeccionista

praying-manO perfeccionista “clássico” é aquele que acredita que pode “marcar pontos no Céu” por meio de suas boas obras. No extremo dessa crença, está a ideia de que a própria salvação pode ser alcançada por mérito. O perfeccionista geralmente pensa em Jesus mais como modelo do que como redentor. Por isso, ele minimiza a gravidade do pecado, encarando-o antes como uma escolha do que como uma condição (embora ambas as coisas coexistam). Acha que pode igualar o Modelo, mais do que assemelhar-se a Ele. Assim, o perfeccionista, por minimizar a doença, acaba minimizando também a importância do remédio. Perfeccionistas são críticos e verdadeiros vigias dos deslizes alheios. Geralmente, condenam nos outros aquilo contra o que eles mesmos lutam. Essas pessoas são infelizes, já que, em seu íntimo, sabem que não conseguem viver à altura do padrão que elas mesmas estabeleceram. Ou, então, são orgulhosas, pois, por rebaixar o padrão, vivem na ilusão de havê-lo alcançado e, por causa disso, acabam olhando de cima para baixo seus irmãos “imperfeitos”. Há quem diga que esse tipo de perfeccionista não existe. Tenho minhas dúvidas…

Tratei do tema do perfeccionismo aqui, aqui e aqui. Mas tem algo mais que precisa ser dito a respeito desse assunto: há pessoas zelosas e sinceras sendo consideradas perfeccionistas pelo simples fato de desejarem viver de acordo com a luz que receberam. Assim, creio que é importante listar algumas características daqueles que não são perfeccionistas, mas que, às vezes, são tidos por:

1. Dedicam tempo para se familiarizar com a Bíblia, seus princípios, suas verdades, suas orientações e seus temas. Dão atenção especial às profecias para este tempo, como as de Daniel e Apocalipse, pois amam Jesus e querem muito saber em que momento da história vivemos e quanto tempo ainda falta para o grande encontro com o Salvador – muito embora saibam que nossa preocupação não deve ser quanto a datas e esquemas proféticos sensacionalistas e sem fundamento.

2. Valorizam o grande presente que Deus concedeu à Sua igreja remanescente: os escritos inspirados de Ellen White. Por lerem e estudarem esses textos que estão em pleno acordo com a luz maior, a Bíblia Sagrada, esses filhos de Deus percebem que há muita coisa em nossa vida que precisa ser mudada com a ajuda de Deus. Percebem, também, que, com a Bíblia e os escritos da Sra. White, não temos porque errar o caminho, já que o Senhor nos deu orientações mais do que suficientes para vencermos a batalha da vida.

3. Por reconhecer que, por meio dos escritos inspirados, Deus fala ao Seu povo, essas pessoas evitam perder tempo com as futilidades e distrações que o inimigo coloca no caminho daqueles que desejam chegar à vida eterna. Essas pessoas se abstêm de conteúdos midiáticos levianos, blasfemos, ideologicamente contrários ao cristianismo, que não se adequam aos valores expostos em Filipenses 4:8 – enfim, evitam todo e qualquer conteúdo que possa macular seus pensamentos e afastar Jesus do coração.

4. Por entender que o corpo é o templo do Espírito Santo e que aquilo que fazem com o corpo afeta a mente, esses cristãos procuram seguir o estilo de vida orientado por Deus por meio dos escritos inspirados dados à igreja. Exercício físico, repouso adequado, dieta o mais natural possível (de preferência, vegetariana) e a observância dos demais “remédios naturais” fazem parte desse estilo de vida, e essas pessoas procuram colocar tudo isso em prática sem fanatismo e extremismo, e sem julgar os outros. Fazem isso porque reconhecem que é o melhor para a vida delas e porque amam Aquele que deu essas instruções. Fazem isso, sobretudo, porque querem ser instrumentos úteis nas mãos de Deus no sentido de abençoar outras pessoas (missão). Por meio de um exemplo tranquilo e sábio, procuram motivar seus semelhantes a colocar em prática esses princípios de saúde e respeitam o livre-arbítrio daqueles que ainda não se sentiram motivados a fazê-lo. Cuidar da saúde é uma ótima forma de exercitar o domínio próprio, afinal, como controlar o que sai da nossa boca, se nem conseguimos controlar o que entra por ela?

5. Esses cristãos creem que os servos de Deus devem ser a luz do mundo e que são verdadeiros “mostruários” dos valores do reino eterno. Assim, procuram exibir em sua vida os princípios da modéstia, do bom gosto e da decência. O objetivo deles é chamar a atenção para o Mestre e não para si. Por isso são discretos e se vestem de maneira honrosa, digna e simples. Por outro lado, evitam modas antiquadas ou retrógradas e esquisitas, que acabam, igualmente, chamando a atenção para si, só que por outro motivo – pelo ridículo.

6. Cristãos como esses procuram em Deus o amor com devem amar uns aos outros. Na comunhão com o Eterno recebem sabedoria, equilíbrio e mansidão para viver em família e em comunidade. Eles amam o cônjuge e os filhos, e essa relação amorosa faz do lar deles um pedacinho do Céu na Terra e um elemento forte de atração para o cristianismo. O culto familiar é, para eles, uma prioridade. Outras pessoas vão querer ser como eles e ter o que ele têm. E se em algum momento houver atritos nessas relações (porque são imperfeitos), esses cristãos de carne e osso pedirão perdão a Deus e ao semelhante e vão orar para ser pessoas melhores.

7. Porque amam a igreja, essas pessoas não são críticas e não fazem comentários destrutivos, mas procuram, com amor e no espírito de Mateus 18:15, chamar a atenção dos que vivem em erro, mostrando interesse genuíno na salvação deles e não posando de modelo de santidade. Pessoas assim até chamam o pecado pelo nome, mas não chamam o nome do pecador, a fim de não expô-lo indevidamente.

8. Cristãos imperfeitos procuram andar no caminho da perfeição bíblica, ou seja, do crescimento em maturidade e amor (que é exatamente o conceito bíblico de perfeição). Entendem que antes da glorificação por ocasião da volta de Jesus não haverá uma condição de impecabilidade, e farão de tudo, com suas capacidades e seus recursos, para resgatar outras pessoas imperfeitas e mostrar-lhes o caminho da salvação. Assim, esses servos do Altíssimo terão um espírito missionário bem aguçado e serão verdadeiros mordomos de Deus, aproveitando cada oportunidade para falar de Seu amor, jamais utilizando o dízimo, por exemplo, de maneira indevida, em desarmonia com os propósitos da igreja. Cristãos “perfeitos” entendem que todas as bênçãos que Deus nos dá (saúde, prosperidade material e outras) devem ser usadas não apenas em proveito próprio, mas, sobretudo, para abençoar o semelhante.

Vários outros itens poderiam ser acrescentados à lista, mas creio que esses são suficientes para mostrar que muita gente na igreja não deveria ser considerada “perfeccionista” pelo simples fato de que, na verdade, são simplesmente cristãos.

Michelson Borges

Veneração de relíquias fará parte das comemorações em Fátima

reliquiaUm fragmento de osso de uma costela de Francisco Marto e uma mecha de cabelo da sua irmã, Jacinta. São essas as relíquias que estão preservadas na Casa das Candeias, em Fátima, e que serão colocadas à veneração a partir do momento em que os dois pastorzinhos forem canonizados em maio pelo papa Francisco. As relíquias estão conservadas em dois relicários em forma de candeias, numa referência à expressão “candeias que Deus acendeu”, usada por João Paulo II no dia de beatificação, em 2000. Segundo explica a irmã Ângela Coelho, postuladora da causa de canonização dos pastorzinhos, ao Observador, trata-se de relíquias de primeiro grau, uma vez que são partes do próprio corpo dos santos. As relíquias dos santos, objeto de veneração muito comum na Igreja Católica, podem ser de três graus: primeiro, caso sejam partes do corpo do santo; segundo, se forem objetos pessoais usados pelo santo; e terceiro, no caso de serem objetos que foram tocados pelo santo.

Os relicários contendo o fragmento de osso de Francisco e a mecha de cabelo de Jacinta serão apresentados ao papa Francisco – possivelmente até pela família da criança brasileira curada milagrosamente – no momento em que for lida a oração de canonização no recinto do Santuário de Fátima.

O papa Francisco confirmou que os pastorzinhos vão ser canonizados no dia 13 de maio, no Santuário de Fátima. Era a decisão que faltava após a aprovação do milagre da cura de uma criança brasileira, em março.

(Observador)

Nota: É interessante notar que Jesus fez questão de não deixar qualquer resquício físico de Sua pessoa, justamente para evitar que algum objeto relacionado a Ele fosse idolatrado, desviando o foco do que realmente importa: a adoração a Deus em espírito e em verdade, e o estudo reverente da Bíblia Sagrada. E é justamente a Bíblia que ordena não adorar ídolos nem idolatrar objetos. A veneração das relíquias dos pastorzinhos relacionados com a aparição de Maria há cem anos contribuirá para que todas as atenções estejam voltadas para Fátima, no mês que vem. Leia o post indicado abaixo e assista ao vídeo para entender as possíveis implicações disso. [MB]

Leia também: “A Virgem de Fátima, a Europa e os muçulmanos”